Chamada para painéis – III Conferência Internacional Ativismos em África – Paz, Direitos e Novas Redes | Recife, 2021

AiA_2021_cover-foto-fb

III Conferência Internacional Ativismos em África

Paz, Direitos e Novas Redes

Recife, 2021

Numa fase histórica em que o continente africano está vivendo grandes transformações, que em muitos casos ameaçam os espaços de liberdade individual e coletiva conquistados com grandes esforços mediante as lutas anticoloniais, a sociedade civil e nomeadamente os movimentos sociais representam o elemento fundamental para levar a frente um projeto de sociedade inclusivo e justo. Para compreender melhor tais lutas, analisando suas caraterísticas, inovações e capacidade de criação de redes solidárias, o Instituto de Estudos de África da Universidade Federal de Pernambuco, a Universidade Federal da Paraíba, o Centro de Estudos Internacionais do Iscte (CEI-Iscte) e o Centro de Estudos Sociais Amílcar Cabral (CESAC) de Bissau promoverão nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro de 2021, a 3ª Conferência Internacional Ativismos em África, no qual serão debatidos os novos perfis do ativismo social no continente africano e as perspetivas de mudança trazidas pelos mesmos.

Chamada para submissão de painéis – 01/04/2020 a 31/05/2020

A comissão organizadora da 3ª Conferência Internacional Ativismos em África receberá propostas de painéis temáticos a partir do dia 1 de Abril até o dia 31 de Maio do corrente ano.

Os painéis devem ter uma ligação com um dos seis eixos temáticos da Conferência e com interesse para a discussão dos movimentos de ativismo no continente africano:

Eixo 1: Ativismo, Movimentos Sociais e Política

– Resistência e contestação social
– Ativismo e processos de democratização
– Repensar a dimensão do Político em África

Eixo 2: Ativismo, Terra e Meio Ambiente

– Movimentos sociais e direito de posse e uso da terra
– Movimentos sociais e gestão ambiental sustentável
– Movimentos sociais e mega-projetos
– Movimentos sociais e redes de resistência e solidariedade: nível nacional, continental e transnacional

Eixo 3: Ativismo e Paz

– Movimentos sociais africanos em busca da Paz
– Movimentos sociais, conflitos internos e ameaças transnacionais
– Redes transnacionais para a Paz

Eixo 4: Ativismo e Direitos Humanos

– Direitos políticos
– Direitos sociais
– Direitos civis
– Direitos culturais

Eixo 5: Diáspora e Redes Transnacionais

– Redes de ativismo transnacional
– Redes de ativismo continental e Sul-Sul
– Movimentos de ativismo na diáspora

Eixo 6: Ativismo e Arte

– Artes visuais
– Cinema
– Música e artes performativas
– Literatura

São incentivadas as contribuições interdisciplinares e que procurem acolher trabalhos que tenham uma forte componente empírica.

Inscrições e mais informações estão disponíveis na página da Conferência:

https://activismsinafrica21.wordpress.com/

mão-verde

Webinar: Educação e Relações Étnico-Raciais em Tempos de Pandemia:

Divulgação:

Webinar: Educação e Relações Étnico-Raciais em Tempos de Pandemia: Diálogos Entre Saberes

Ocorrerá entre os dias 26 de Maio à 30 de junho de 2020 na Plataforma de transmissão Jitsi Meeth (https://meet.jit.si/erer2020)

Serão emitidos certificados para os ouvintes inscritos em cada uma das mesas. Links para inscrição abaixo:

Mesa 01 – Juventude Indígena: Lutas e resistências – https://bit.ly/2TgJVZj
Mesa 02 – Medicinas Indígenas: Saúde, Doença e Pandemia – https://bit.ly/2zPMtXg
Mesa 03 – Povo Negro e Covid-19 – https://bit.ly/2zT0fsb
Mesa 04 – Povos de Terreiro e Covid-19 – https://bit.ly/2zKcp6O
Mesa 05- Quilombos, racismos e (re)existências- https://bit.ly/2AMsXvv

 

Dossiê Exílio e afastamento: considerações sobre uma hermenêutica da distância? – O exílio africano de Paulo Farias (África Ocidental, 1964-1969) – Luiza Nascimento dos Reis

O exílio africano de Paulo Farias (África Ocidental, 1964-1969) – Luiza Nascimento dos Reis*

Resumo: Paulo Fernando de Moraes Farias é historiador brasileiro com renomado trabalho desenvolvido no Centre of West African Studies, da Universidade de Birmingham. Sua longa trajetória de residência e pesquisa no Reino Unido se deu após anos decisivos, em que viveu em diferentes países da África Ocidental. Perseguido politicamente pela ditadura civil-militar brasileira instaurada em 1964, Farias deixou o Centro de Estudos Afro-orientais (Ceao) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e vinculou-se sucessivamente a diferentes instituições acadêmicas em Gana, no Senegal e na Nigéria para desenvolver pesquisa no emergente campo da história africana. Neste texto, amparado em três entrevistas concedidas por Farias e em diversas correspondências depositadas em acervos do Ceao e da Fundação Pierre Verger (FPV), discutimos os dilemas, as descobertas e os diálogos do jovem historiador em seu exílio africano entre 1964 e 1969.

Palavras-chave: Exílio; África Ocidental; Paulo Farias.

Luiza Nascimento dos Reis [*]Universidade Federal de Pernambuco — Recife (PE), Brasil

Divulgando – Carta aberta de intelectuais africanos aos líderes africanos

Em carta conjunta, cem acadêmicos e escritores de vários países da África apontam os problemas a serem superados no continente africano diante a atual crise global causada pela pandemia do COVID-19.

A Orisa Brasil traduziu a carta, originalmente em inglês. Veja a tradução no link ->

https://orisabrasil.com.br/Loja/100-academicos-e-escritores-africanos-pedem-aos-lideres-que-governem-com-compaixao-e-vejam-a-crise-como-uma-chance-de-uma-mudanca-radical-de-direcao/?fbclid=IwAR2lpCZXh4C1oH6Ujv_QabVkQexGYc9dzf8NocXVZJr9L4sdxafxgjC00W0

III Conferência Internacional Ativismos em África – Paz, Direitos e Novas Redes | Recife, 2021

AiA_2021_cover-foto-fb

III Conferência Internacional Ativismos em África

Paz, Direitos e Novas Redes

Recife, 2021

Numa fase histórica em que o continente africano está vivendo grandes transformações, que em muitos casos ameaçam os espaços de liberdade individual e coletiva conquistados com grandes esforços mediante as lutas anticoloniais, a sociedade civil e nomeadamente os movimentos sociais representam o elemento fundamental para levar a frente um projeto de sociedade inclusivo e justo. Para compreender melhor tais lutas, analisando suas caraterísticas, inovações e capacidade de criação de redes solidárias, o Instituto de Estudos de África da Universidade Federal de Pernambuco, a Universidade Federal da Paraíba, o Centro de Estudos Internacionais do Iscte (CEI-Iscte) e o Centro de Estudos Sociais Amílcar Cabral (CESAC) de Bissau promoverão nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro de 2021, a 3ª Conferência Internacional Ativismos em África, no qual serão debatidos os novos perfis do ativismo social no continente africano e as perspetivas de mudança trazidas pelos mesmos.

Chamada para submissão de painéis – 01/04/2020 a 31/05/2020

A comissão organizadora da 3ª Conferência Internacional Ativismos em África receberá propostas de painéis temáticos a partir do dia 1 de Abril até o dia 31 de Maio do corrente ano.

Os painéis devem ter uma ligação com um dos seis eixos temáticos da Conferência e com interesse para a discussão dos movimentos de ativismo no continente africano:

Eixo 1: Ativismo, Movimentos Sociais e Política

– Resistência e contestação social
– Ativismo e processos de democratização
– Repensar a dimensão do Político em África

Eixo 2: Ativismo, Terra e Meio Ambiente

– Movimentos sociais e direito de posse e uso da terra
– Movimentos sociais e gestão ambiental sustentável
– Movimentos sociais e mega-projetos
– Movimentos sociais e redes de resistência e solidariedade: nível nacional, continental e transnacional

Eixo 3: Ativismo e Paz

– Movimentos sociais africanos em busca da Paz
– Movimentos sociais, conflitos internos e ameaças transnacionais
– Redes transnacionais para a Paz

Eixo 4: Ativismo e Direitos Humanos

– Direitos políticos
– Direitos sociais
– Direitos civis
– Direitos culturais

Eixo 5: Diáspora e Redes Transnacionais

– Redes de ativismo transnacional
– Redes de ativismo continental e Sul-Sul
– Movimentos de ativismo na diáspora

Eixo 6: Ativismo e Arte

– Artes visuais
– Cinema
– Música e artes performativas
– Literatura

São incentivadas as contribuições interdisciplinares e que procurem acolher trabalhos que tenham uma forte componente empírica.

Inscrições e mais informações estão disponíveis na página da Conferência: https://activismsinafrica21.wordpress.com/

III Conferência Internacional Ativismos em África_Recife 2021

III Conferência Internacional Activisms in Africa_Recife 2021_chamada para panéis

3rd International Conference Activisms in Africa_Recife 2021

3rd International Conference Activisms in Africa 2021_call for panels_EN

mão-verde

Obituário – Carlos Serra

É com muita dor que o IEAf tomou conhecimento do desaparecimento físico de uma das referências principais da sociologia moçambicana, o Professor Carlos Serra, em Portugal. Neste momento de dor e consternação, O IEAf se une à família enlutada e a toda a comunidade cientifica moçambicana. Serra é considerado como o primeiro sociólogo moçambicano, que introduziu estudos de sociologia moderna naquele país depois da queda do regime socialista. Serra obteve seu doutorado na França, e sempre foi uma das colunas do Centro de Estudos Africanos da Universidade Eduardo Mondlane, onde atuava como Professor Titular. Autor de muitas obras de história, sociologia e politica, dedicou-se também, nos últimos anos, à literatura. Foi premiado várias vezes graças ao seu blogue de oficinas de sociologia. Observador atento e sensível, representou a sociedade moçambicana e suas transformações ao longo dos últimos trinta anos, com sagacidade e uma humanidade fora do comum, inclusivamente na sua coluna fixa do semanário Savana. Aos seus alunos e colegas caberá agora a tarefa de recolher seu legado, dando continuidade ao seu trabalho para melhor homenagea-lo, num momento tão difícil para Moçambique e a África em geral.

90971054_1871219859679889_3602251142022561792_n

Divulgando – 14º Congresso Mundos de Mulheres | FEMINISMOS AFRICANOS – CONSTRUINDO ALTERNATIVAS PARA AS MULHERES E PARA O MUNDO ATRAVÉS DE UM CORREDOR DE SABERES QUE CUIDA E RESISTE

20479695_1234035626702309_5675689388130667350_n

O Congresso Mundos de Mulheres é um evento internacional e interdisciplinar que congrega mulheres e homens de diferentes áreas da academia e do activismo de todo o mundo.

O seu objectivo principal é a criação de um espaço de debate amplo onde diversos actores reflectem e dialogam sobre as suas acções e experiências; questionam e (re)constroem paradigmas a partir de diferentes perspectivas.

O primeiro Congresso do Mundos de Mulheres realizou-se em 1981 em Israel, na Universidade de Haifa e o último, 13º, em Florianópolis, Brasil, na Universidade de Santa Catarina, UFSC, em simultâneo com o 11º Fazendo Género.

Em 2002 realizou-se no continente Africano, no Uganda, na Universidade de Kampala, com o tema MUNDOS GENDERIZADOS: GANHOS E DESAFIOS e teve como principal oradora, a docente e investigadora feminista Amina Mama que apresentou uma comunicação intitulada Ganhos e Desafion: Ligando a Teoria e a Prática, no dia 21 de Julho.

14º Congresso Mundos de Mulheres

TEMA: FEMINISMOS AFRICANOS – CONSTRUINDO ALTERNATIVAS PARA AS MULHERES E PARA O MUNDO ATRAVÉS DE UM CORREDOR DE SABERES QUE CUIDA E RESISTE

PRINCÍPIO

Organização colectiva e dialogada entre academia e movimentos nacionais e internacionais – que o próprio processo seja de aprendizados e diálogos entre as diferenças.

Espaço de incentivar a recriar novas formas organizativas, novos valores académicos, novas relações com a sociedade.

Processo político – MM e feminismos em MOÇAMBIQUE: para pensar o programa e metodologia; reflectir quem somos e que queremos aprender nesse processo, considerando os contextos mundiais.

OBJECTIVO

Criação de um espaço de debate amplo onde diversos actores reflectem e dialogam sobre as suas pesquisas, acções e experiências; questionam e (re)constroem paradigmas a partir de diferentes perspectivas e territórios.

Local: Campus Universitário Principal, Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo – Moçambique.

Data: 21 a 24 Setembro de 2020

Maiores informações em -> http://mm2020.uem.mz/14o-congresso-mundos-de-mulheres/