Divulgando |Inscrição de comunicações – Seminário “Áfricas e Pós-Abolição: Saberes TransAtlânticos” – Universidade Federal de Juiz de Fora

O Seminário “Áfricas e Pós-Abolição: Saberes TransAtlânticos”  recebe inscrição de comunicações até o dia 13 de março. Pesquisadores interessados em participar do evento, que será realizado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) entre os dias 25 e 27 de maio, devem preencher o formulário eletrônico e fazer o encaminhamento do resumo.

africas-interna-630x437

O Seminário Áfricas e Pós-Abolição: Saberes TransAtlânticos é fruto de diferentes encontros acadêmicos ocorridos nos últimos anos em Minas Gerais.

A extensão da linha de pesquisa Memória, Áfricas e Escravidão do LABHOI – Laboratório de História Oral e Imagem da UFF para a UFJF em 2018, transformou o LABHOI em rede interinstitucional e permitiu a integração entre o laboratório e o grupo de pesquisa Afrikas, gerando um novo grupo de pesquisa no CNPq, o LABHOI/Afrikas, que atualmente é coordenado por Hebe Mattos e Fernanda Thomaz.

Em maio de 2019, o programa de Pós-Graduação em História da UFJS promoveu o Iº Seminário de Pós Abolição e História Pública.

O encontro reuniu pesquisadores de diferentes instituições e reuniu os membros do GTEP/ ANPUH (emancipações e pós-abolição) em Minas Gerais, construindo um evento pioneiro acerca dos temas.

No mesmo ano, o LABHOI/Afrikas organizou o colóquio “Áfricas e Brasis: Saberes Transatlânticos” em parceria com os organizadores do Seminário da UFJS e o GETP/ANPUH, realizado nos dias 27 e 28 de novembro de 2019.

Essas diferentes interlocuções instigaram a dar continuidade aos encontros e a delinear novos rumos para 2020.

O Seminário Áfricas e Pós-Abolição: Saberes TransAtlânticos, a ser sediado na UFJF entre os dias 25 e 27 de maio, pretende reunir e aprofundar o diálogo acadêmico nos campos de Estudos Africanos, Pós-Abolição e História Pública.

Convidamos pesquisadores a submeterem trabalhos que ampliem as possibilidades de compreensão sobre Áfricas em suas distintas temporalidades e interconexões, de modo a reavaliar o próprio campo de estudos que, nos últimos 16 anos, cresceu consideravelmente no Brasil com produções acadêmicas sofisticadas em torno das experiências e práticas sociais dos africanos, desde o plano continental até suas conexões externas. Buscamos discutir também as interconexões em torno da atlanticidade que margeia as relações com o Brasil e a Afro-América à sombra do tráfico intercontinental, com ênfase na história do racismo e da cidadania negra em contextos atlânticos escravistas e pós-escravistas.

A História Pública da Escravidão e das Emancipações em Minas Gerais, em especial, maior província escravista do país, é outro ponto fundante do Seminário, ratificando o esforço da primeira edição de escrutinar os “becos da memória” negra em Minas, oportunizando a emersão de novas subjetividades negras e refletindo sobre seus desdobramentos na escrita de uma história que descortine novas epistemologias para o ensino de História, a partir dos seguintes eixos temáticos: 

SIMPÓSIO TEMÁTICO 

ST 1 – Emancipações, pós-abolição e memória

Neste eixo do simpósio, em diálogo com o Grupo de Trabalho Emancipações e Pós-Abolição (Gtep) da Associação Nacional de História (Anpuh) e procurando aprofundar uma perspectiva decolonial nas abordagens abertas por este campo de pesquisa, bem como fortalecê-lo em Minas Gerais, encorajamos a submissão de trabalhos que articulem os seguintes temas ou abordagens:

1) experiências de escravizações, precariedade da liberdade e possibilidades de cidadania no mundo atlântico;

2) raça, gênero, classe e etnicidade em sociedades escravistas e pós-escravistas;

3) escravidão e racismo estrutural: arcaísmos e modernidade como questões historiográficas;

4) trajetórias e subjetividades negras e indígenas na escravidão e na liberdade;

5) racismo estrutural, escravidão e política no Brasil imperial e republicano;

6) escravidão, racismo e história do trabalho;

7) trabalho rural, migrações negras e pós-abolição em perspectiva comparada;

8) etnogêneses negras e indígenas em perspectiva histórica;

9) movimentos negro e indígena como questão historiográfica;

10) história e cultura negra no Atlântico: revisitando Minas Gerais 

 

ST 2 – Áfricas: Tempos e Reconexões

Este simpósio temático propõe pensar as Áfricas em diferentes temporalidades e conexões a partir de várias áreas disciplinares que tem possibilitado a construção do campo de Estudos Africanos no Brasil, permitindo o surgimento de novas abordagens teóricas, metodológicas e epistemológicas. Pretende-se com este simpósio integrar pesquisadores de todo o país instigando à submissão de trabalhos com diferentes temas, podendo sugerir alguns deles:

1)    Estudos Africanos e seu ensino no Brasil

2)    Deslocamentos e conexões africanas

3)    Metodologias de pesquisa e abordagens historiográficas nos Estudos Africanos

4)    Movimentos sociais e lutas por direitos em África

5)    Relações de gênero e experiências de mulheres africanas

6)    Trabalho, relações de dependência e escravidão na África

7)    Interconexões atlânticas, tráfico intercontinental e fluxo de populações africanas

8)    Dinâmicas religiosas e práticas espirituais

9)    Produção artísticas e dimensões culturais no continente africano

10)    Intelectuais africanos e caminhos epistemológicos

 

 ST 3 – História Pública e Ensino de História

Pensar as relações entre a História Pública e o Ensino de História é o objetivo desse ST, a partir do reconhecimento das interfaces entre divulgação do conhecimento histórico e as formas como passado/presente e se repensam. Para tanto convidamos trabalhos que se pautem em pesquisas voltadas para:

1) Ensino e reescrita da História;

2)  Epistemologias do Ensino de História;

3) História Pública e construção de narrativas;

4) Memórias e subjetividades no ensino de História;

5) História pública, currículo e mediação docente,

6) Metodologias de pesquisa e Ensino de História

7) História Pública, racismo estrutural e história subalterna

8) Gênero, raça e classe aos olhos da História Pública

CRONOGRAMA

Inscrição de comunicações: Até 13/03/2020

Resumo: 1800 a 3000 caracteres com espaço (que será publicado nos ANAIS) a ser enviado ao email: africasbrasisaberes@gmail.com

O evento contará com um comitê científico e um comitê pedagógico para a seleção dos trabalhos. As propostas selecionadas pelo Comitê Pedagógico serão adaptados para uma posterior produção de material didático para uso na educação básica. Autores poderão optar por realizar a adaptação ou autorizar que a mesma seja feita pelo Comitê.

*Informar na inscrição se autoriza a adaptação do texto pelo comitê pedagógico para produção de material didático ou se fará a adaptação.

*Ficha de inscrição deverá informar raça/gênero e mini-currículo

Divulgação de trabalhos aprovados: 13/04/2020

Entrega do texto completo para circulação entre os participantes até 30/04/2020

 

Comissão Organizadora:

Giovana Castro (UFJF), Hebe Mattos (UFJF), Livia Monteiro (UNIFAL), Fernanda Thomaz (UFJF)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s