Dossiê Exílio e afastamento: considerações sobre uma hermenêutica da distância? – O exílio africano de Paulo Farias (África Ocidental, 1964-1969) – Luiza Nascimento dos Reis

O exílio africano de Paulo Farias (África Ocidental, 1964-1969) – Luiza Nascimento dos Reis*

Resumo: Paulo Fernando de Moraes Farias é historiador brasileiro com renomado trabalho desenvolvido no Centre of West African Studies, da Universidade de Birmingham. Sua longa trajetória de residência e pesquisa no Reino Unido se deu após anos decisivos, em que viveu em diferentes países da África Ocidental. Perseguido politicamente pela ditadura civil-militar brasileira instaurada em 1964, Farias deixou o Centro de Estudos Afro-orientais (Ceao) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e vinculou-se sucessivamente a diferentes instituições acadêmicas em Gana, no Senegal e na Nigéria para desenvolver pesquisa no emergente campo da história africana. Neste texto, amparado em três entrevistas concedidas por Farias e em diversas correspondências depositadas em acervos do Ceao e da Fundação Pierre Verger (FPV), discutimos os dilemas, as descobertas e os diálogos do jovem historiador em seu exílio africano entre 1964 e 1969.

Palavras-chave: Exílio; África Ocidental; Paulo Farias.

Luiza Nascimento dos Reis [*]Universidade Federal de Pernambuco — Recife (PE), Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s